segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Vazamentos

VAZAMENTOS

Estou deitado ,mas não durmo
sonhando,porém sem sono;
e sonho com os pesadelos do dia,
escuto vazamentos;vaza a vida vazia!

Sinto tudo vazando ,esvaindo
vida escorrendo do cálice,caindo;
noite chegando,céu desabando,chão se abrindo,
inverno apertando,solidão acochambrando,
e eu mergulhando nesse vazio infindo.

Vaza a vida vazia!E continuo a escutar os vazamentos!

E vaza do cálice o vinho
escorre a água da pia;
cai a noite e vaza o dia,
vaza,vida vazia!

De meu coração destila ódio,
de minha boca sobeja ópio;
De minha dor vaza fragilidade,
e vaza fugaz,o vigor de minha mocidade!

E vaza a vida vazia!

E escuto os vazamentos ,não estão longe,
é meu sangue derramando,
martírio tributário por quem devora,
ás custas do vazamento das consciências de gente simples,se fartando sem demora!

E vaza gente vazia!

Vazamento,sofrimento,passatempo,
no movimento do perde-tempo.
Só não vaza quem não perde tempo;quem tem como passatempo se fartar de alheios vazamentos.

E vaza vida vazia,derramando na boca do Lobo que de ti se delicia!

E despedaçado,vazo;
Quebrantado vaso,
de tanta dor,extravaso,
Amparado somente pelo Acaso;
E vaza o tão precioso vaso!

Do Amor restou-me somente lembranças;
Do Destino?Desesperança!
De Deus, saudade retraída,
Da Fé,honrosa ferida,
Da Vida,o vazio de tanto vazar-se repetida!

Cessaram os sofrimentos!Chegou a Morte cheia de contentamento,farta de beber meus vazamentos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário